O SILICONE MUDOU DE TAMANHO,MULHERES ESTÃO PREFERINDO PEITOS MENORES!

Faz um tempo que a “era dos peitões” ficou para trás. Celebridades como Anitta, que diminuiu o silicone, e Victoria Beckham, que retirou as próteses, são apenas algumas das personalidades que vieram a público falar sobre o assunto.A ex-Spice Girl disse à revista “Allure” que o motivo que a levou ao procedimento foi “os seios turbinados não combinarem mais com seu estilo sofisticado”. O desejo de diminuir o volume das mamas e usar próteses mais naturais que a deixa com ar mais leve.
Mais do que qualquer coisa, o que manda é a estética ,a moda: a tendência é anunciada no visual das celebridades e das mulheres nas ruas. E o perfil da mulher que passou por uma cirurgia aos 20 e poucos anos é diferente de uma que está com 40 e já passou por gestações, por exemplo. A empresária Flavia Bozian, 44, fez sua primeira cirurgia em 2006, seis anos após o nascimento da filha. Na época, a prótese foi de 280 ml, porque, segundo ela, era o “auge de ter peitos grandes”. “Depois que a gente tem filho, as mamas caem e meio que murcham, também. Eu quis corrigir isso”. Segundo ela, agora que o padrão de beleza mudou, não fazia mais sentido manter os seios turbinados. Há dois meses ela passou por um novo processo e reduziu radicalmente
“Pedi o mínimo possível ao médico e fiquei com um implante de 190 ml. As mamas exageradas estavam me incomodando, principalmente porque eu faço corrida e senti que elas começaram a cair rapidamente. Além disso, queria ficar com o visual mais ‘slim'”. “A gravidez mexe com o corpo como um todo, e os seios fazem parte dessa mudança. É natural que, após passar por esse período e por uma amamentação, eles fiquem mais flácidos e caiam mais rapidamente, principalmente com o peso da prótese e a idade.
Tem problema? Exceto em casos extraordinários de complicações com o silicone, não há nenhum risco à saúde que exija uma nova cirurgia, de acordo com os médicos. A troca é feita por estética. As próteses colocadas atualmente não precisam mais ser substituídas por causa do tempo. Antigamente, a validade do produto variava entre dez e 15 anos. “Mesmo assim, há casos em que a prótese pode apresentar problemas como contratura capsular –perda de perda de elasticidade do material que envolve o implante– ou outras complicações mais incomuns que podem exigir uma troca”, explica o cirurgião plástico Thomas Benson.

Fonte – Thais Carvalho Diniz – Jornalista